Receita de 2011 do Google

O faturamento do GoogleAdwords em 2011 dividido por categorias com os 5 mais “gastadores” de cada uma.

 

Anúncios

MANIFESTO DO SOCIAL MEDIA: A Bianca quer a sua ajuda!

Cansado de se sentir um @socialmerda? O seu @cliento cobra resultados imediatos para aquela “funpage” que você acabou de criar? A @atendilento lhe diz que você tem no máximo quinze minutos para produzir aquele post para o blog? Sua família e amigos acham que você passa o dia brincando no Twitter?

Pois chega de rezar para que @oCriador resolva seus problemas! Essa é a hora da revolução, a hora de mostrar que somos muito mais do que Manolos que tomam #dorgas!

É a hora de se rebelar contra aqueles que te obrigam a contar replies e mentions na mão e a produzir relatórios com mais de 55 planilhas diferentes, todas elas com gráficos comparativos – que serão solenemente ignorados por quem te contratou porque tudo que se quer saber é quanto as tais “mídias sociais” conseguiram aumentar nas vendas daquele produto encalhado desde 2008.

Poucos tem a coragem de abordar assuntos tão #mamilos como este, mas alguém precisa fazer algo além do que pedir para que #OREMOS. Chegou a hora da verdade, chegou a hora da revolução! #CORRÃO

Nossos heróis morreram! E antes do flash! #Temqueverissoae, pois onde será que este mundo vai parar?

Se você acredita que juntos, nós, profissionais de social media podemos mudar o mercado, passe esse manifesto a frente. Conquiste simpatizantes e nos ajude a quebrar as correntes que nos prendem no pé da mesa da agência por pelo menos 15 horas diárias. Não fiquemos mais parados simplesmente porque vai ter bolo!

Assinado: Bianca.

Junte-se a Bianca, uma profissional de Social Media em busca de melhorias:www.manifestosocialmedia.com.br

#ManifestoSM // Siga no Twitter: @manifestosm

PS. Campanha de lançamento da ferramenta Seekr Search

Mais de 40% dos consumidores usam mídias sociais enquanto assistem à TV

  • Estudo que inclui o Brasil mostra que a TV pela internet e sob demanda continua a crescer
  • O uso das mídias sociais está impactando a forma de assistir à TV
  • Grande disposição para pagar por conteúdo novo e bons serviços de streaming estão reduzindo a pirataria

O ConsumerLab da Ericsson (NASDAQ:ERIC) divulgou os resultados do seu estudo anual “TV & Video Consumer Trend Report 2011”, que mostra que as pessoas estão passando menos tempo assistindo às transmissões de TV programadas e estão gastando mais tempo assistindo à TV online viastreaming e sob demanda. Mais de 44%  dos entrevistados afirmaram que assistem à TV sob demanda pela internet mais de uma vez por semana, enquanto 80% assistem a transmissões de TV mais de uma vez por semana.

Foram coletados dados na Alemanha, Austrália, Áustria, Brasil, China, Coreia do Sul, Espanha, Estados Unidos, Holanda, Reino Unido, Rússia, Suécia e Taiwan. No total, foram conduzidas 22 entrevistas qualitativas e 13 mil quantitativas, o que representa quase 400 milhões de consumidores.

Anders Erlandsson, conselheiro sênior do Ericsson ConsumerLab, diz: “Assistir a programas online vem se tornando cada vez mais popular, enquanto assistir à TV permanece sendo a forma mais comum de se assistir televisão. As pessoas querem poder escolher entre a programação e o vídeo sob demanda. A TV e o vídeo não foram afetados negativamente pela internet da mesma maneira que a mídia impressa. Nós apenas assistimos à TV de mais formas do que antes”.

Localization

(Alemanha, Espanha, EUA, Reino Unido, Suécia, Taiwan)

O estudo também mostra que o uso das mídias sociais impactou a forma como assistimos à TV. Mais de 40% dos entrevistados afirmaram que usam as mídias sociais em vários dispositivos, como smartphones e tablets, enquanto assistem à TV.

Localization

“Nossas entrevistas aprofundadas – especialmente aquelas feitas nos EUA, que estão na vanguarda das tendências de consumo em TV e vídeo – mostram como o uso das mídias sociais impacta a forma de se assistir à TV. A maioria das amílias combinam a TV com o uso do Twitter, Facebook, mensagens de texto, chamadas de voz e fóruns de discussão sobre o que estavam assistindo. É assim especialmente quando assistem a reality shows e esportes. Essa comunicação agrega uma nova dimensão à experiência de TV, à medida que os consumidores acham um reality show irritante mais divertido quando podem comentar nas mídias sociais sobre os cantores “horríveis”, as roupas “feias” ou quando seu time favorito faz um gol”, diz Erlandsson.

Em termos do que os consumidores mais esperam da sua TV, a boa qualidade permanece sendo o principal fator e ela é mais importante do que, por exemplo, a disponibilidade de TV 3D e acesso a aplicações.

A pesquisa também mostra quantas horas por semana em média as pessoas passam vendo TV e que porcentagem do total elas estão usando conteúdo sob demanda. As pessoas na Alemanha passam pelo menos 25 horas por semana assistindo a TV e vídeo, mas apenas 28% deste conteúdo é sob demanda. Na Espanha, 44% de toda a audiência é sob demanda.

Os relatórios de tendências do ConsumerLab da Ericsson focam em como os consumidores agem e o que pensam sobre produtos e serviços de telecomunicações e TV, ajudando as operadoras a entender seus assinantes e a desenvolver estratégias atraentes que geram receita.

Fonte: Ericsson